Azuis e Tabaranas na Represa de Furnas em Areado/MG

Publicada originalmente em 18/03/2017, dentre muitas matérias que ocorreram na mesma região da Represa de Furnas publicadas no Pescaki, esta foi preservada.

Se tem uma região onde gosto de pescar é a de Areado e Alfenas, às margens da Represa de Furnas, razão pela qual no Pescaki já existem vários relatos meus sobre a pesca por lá.

Desta vez já fazia algum tempo que não ia para lá, mas na semana passada tive esta oportunidade e matei a saudade.

Só quem conhece a região pode ter uma real noção dos dias de maravilha que passamos, mas tentarei mostrar o quanto isso pode ser bom através deste relato, ajudado por algumas fotos.

A primeira e grande vantagem de se estar por lá é justamente por poder estar em Minas Gerais, especialmente na região sul daquele Estado, onde a paisagem sempre exuberante, a avifauna espetacular e a pesca de muitas espécies e, sobretudo, sua formidável gente, contribuem sobremaneira para tornar difícil o dia em que vem a ser necessário voltar para casa, deixando sempre uma pontinha de saudade, antes mesmo de sair de lá.

O lago esteve bastante abaixo do nível normal por um longo período, pelo que verifica-se algum prejuízo em termos de diminuição na quantidade de peixe, mas jamais a ponto de tornar uma jornada ruim. O que agrada é perceber que com a pouca recuperação do nível de água, há muitos cardumes de juvenis oriundos do último grande período de reprodução e mesmo de alevinos oriundos dos eventuais episódios de reprodução isolados ainda em andamento, o que significa uma boa recuperação, muito embora por lá se verifique uma maciça presença de pescadores profissionais, ou revestidos de profissionais, enfim, matadores em alto nível de depredação, a quem as autoridades precisam prestar um pouco mais de atenção, pois desrespeitam toda e qualquer regra da pesca profissional além de ameaçar aos pescadores esportivos que reclamam de seus crimes.

Ficamos hospedados da Unidade de Lazer da Colônia de Férias da AFPESP em Areado, de onde gosto muito, vez que ali fiz grandes e especiais amigos a quem é sempre bom e prazeroso rever e poder colocar a prosa em dia. Só para se chegar à unidade já se pode desfrutar de estupendas paisagens, sempre com muitas plantações, sobretudo de café, milho e soja. Então, deixo algumas fotos do local e dos peixes para dar uma ideia da maravilha que é.

fxrAqK7.jpg
O4EVETj.jpg

Estes aqui são praticamente o símbolo do Sul de Minas. Presentes em qualquer lugar que se preste atenção, ajudam a dar o toque especial para aquilo tudo.

uTpHRFb.jpg
8twYBGk.jpg
NLTFZ6X.jpg
rhoiYHL.jpg

Quanto aos peixes andamos acertando com os tucunarés e também com as tabaranas. Foram inúmeras capturas de peixes pequenos, mas também com algumas capturas de peixe de porte a merecer registro, tal como se pode ver nas próximas fotos.

r7e0B8P.jpg
PpIaIWh.jpg

Mário, meu irmão.

q6msai1.jpg
mcGIMbl.jpg
PtpuKR0.jpg
lo4GNEm.jpg
rI5w0es.jpg
V1ZLHSZ.jpg
CtIVw3l.jpg

Meu amigo Valter Moraes, grande fotógrafo, grande pescador, acertou um belo peixe

e0yXtGq.jpg

Lúcia também sacou alguns, muito embora nenhum de tamanho expressivo. Contudo, percebe-se nítida a alegria da pescadora.

p7ejucO.jpg
WImGd5g.jpg

No último dia tive a companhia do meu amigo João Paulo e do meu amigo Sr. Arlindo, dois caboclos daqueles que a gente nunca esquece. O danado do João pegou o único peixe bom do dia, que esteve mais fraco que os demais

a0HWxJP.jpg
orlp1fB.jpg


E, assim, chegou a hora em que a lua cheia, ali sempre mais bonita que em qualquer outro lugar, veio anunciar fim da jornada, coroando-a com esta imagem.

yG2Yerz.jpg

Para finalizar deixo gravados meus agradecimentos aos amigos Valter MoraesJoão PauloSidney TiriçaSr. Arlindo e Nice, todos eles, que não medem esforços em propiciar a melhor das jornadas, gente muito especial a quem gostaria de estar em contato mais amiúde, mas os compromissos de nosso dia a dia só o permitem de vez em quando.

Também registro agradecimentos a minha mulher LúciaMárioHelenaJosé Jorge e Rosa, que sempre fazem qualquer jornada tornar-se a melhor! Deixo gravados também os agradecimentos ao pessoal da Unidade da AFPESP, nas pessoas do gerente AlexandreFabioDouglasCelinho , Débora 1Débora 2 rsss e de todos os que ali trabalham, vez que fazem sentir-me em casa, tamanha a hospitalidade e simpatia. Além disso, fica um forte abraço pro caboclo mais artista que conheço, Edinho, grande cantor, sobretudo cantadô de modas de viola. Por fim, deixar um forte abraço para o amigo Geraldo e Familia e ao novo amigo Josias e Família a quem tive o prazer de conhecer na unidade!

É isso aí! Espero que tenham gostado! 

Nesta jornada os materiais utilizados foram os seguintes:

=> Varas de montagem própria, de ação média-leve, de 12 e de 14 libras, de 5,5 a 6 pés de comprimento
=> Carretilhas da Shimano nos modelos Scorpion, Curado e da MS, modelo Lubina
=> Linha multifilamento de 20lb (p/ iscas leves) e de 30lb (p/ iscas mais pesadas)
=> Linha de monofilamento diâmetro 0,50 no uso como líderes
=> Iscas de superfície zaras, hélices, poppers e hélices, além de iscas de meia água para pouca e média profundidade e jigs, todos de várias cores e modelos nos pesos variando de 10g a 30g.

Para me seguir nas redes sociais e ficar por dentro de novas publicações, basta clicar nos links abaixo:
Facebook
Instagram
Twiter

© Todos os direitos reservados sobre texto e fotos! Proibida a reprodução, porém permitido compartilhamento da matéria/texto em sua íntegra, sem edição através unicamente das ferramentas (vide botões abaixo) do Blog!

Se gostou, por favor, prestigie curtindo e compartilhando clicando nos botões de compartilhamento logo mais abaixo:

4 comentários em “Azuis e Tabaranas na Represa de Furnas em Areado/MG

  1. Tenho saudades de Areado, espero no segundo semestre vindouro estar a poder retornar a vida nas viagens, curiosamente nunca fisguei uma tabarana , embora quando saia com outros, presenciava eles fisga-las na mortadela num rio pequeno no município do Embu Guaçu onde havia corredeiras.- tem alguma foto dessas ao fundo da Afpesp Bome? – lembro de ter lido na revista Pesca & Companhia se não essa, matéria sobre as tabaranas, e se Areado acontecer, oportunamente estarei te pedindo dicas.
    não tenho hábito de embarcação, me distraio sempre com os pés no chão…belíssimas imagens e exemplares fisgados por todos. Show!.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Grande Roque, estamos marcados lá na Afpesp para o final de março/2022. Ali, na área bem próxima da Colônia, nunca acertei de fisgar uma tabarana, mas já lá na frente, no canal do braço da represa elas são comuns, sempre nas áreas de pedras. Inclusive, ali perto tem uma pedra submersa onde se pescam muitas tabaranas. O local está a cerca de 5 minutos de navegação desde a Colônia, portanto, muito perto. Quando você for para lá, me contate que vou te passar algumas dicas, inclusive de local certo para poder pescá-las desde a barranca. Muito grato pelo comentário, meu amigo!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: